• Agrobid

Água na pecuária de corte: 5 dicas para o uso consciente

A busca por alternativas que permitam tornar mais eficiente o uso dos recursos hídricos na pecuária é primordial




A água é essencial para todos os seres vivos. Contudo, o uso consciente da água tornou-se uma pauta recorrente na sociedade, levando a alguns questionamentos sobre o seu uso na pecuária. Diante disso, a busca por alternativas que permitam tornar mais eficiente o uso dos recursos hídricos na pecuária é primordial para que possamos atender as demandas da sociedade e do sistema de produção.

Água: Uma preocupação do século 21


O processo de evolução da sociedade com relação ao uso dos recursos naturais do planeta tem direcionado as ações da população na criação de novos valores embasados no consumo mais consciente e sustentável de alimentos, bens e serviços de forma que possam garantir a nossa sobrevivência no planeta terra.

Nesse contexto, o uso da água entra como um dos alicerces dessas mudanças de valores, pois as crescentes crises hídricas que vem ocorrendo em diversas partes do planeta, nos mostram que, apesar de ser um recurso natural renovável, a água é limitada e indispensável para a sobrevivência de todas as espécies de serves vivos.

Ou seja, nós precisamos cuidar urgentemente dos nossos recursos hídricos para garantir a sobrevivência de nosso planeta. Por isso, é perceptível uma cobrança cada vez maior da sociedade sobre a forma como o uso da água vem sendo feito pelos diferentes setores produtivos no mundo.

O setor da produção animal é uma atividade geradora de proteína de alta qualidade, subprodutos e serviços fundamentais para a sociedade, contudo há muitos questionamentos quanto ao seu impacto ambiental e, particularmente, à forma como utiliza a água e se seu consumo é tão necessário para a produção animal.

A água é importante para a pecuária de corte?

A água é um componente vital para todos os seres vivos, portanto para o gado não é diferente. A falta de água de consumo para bovinos impacta em seu crescimento, bem-estar, saúde e estresse, repercutindo nos parâmetros zootécnicos e econômicos.

Mas a água é tão importante assim para um bovino?

Um bovino adulto possui entre 55 e 70% de água corporal, podendo chegar a 90% nos recém-nascidos. Esses animais podem perder até 100% do tecido adiposo e mais de 50% de proteína corporal, mas podem morrer se perderem mais de 10% de água corporal.

Ou seja, a água é indispensável para a pecuária de corte, onde o seu uso deve ser feito de forma que haja uma disponibilidade em quantidade e qualidade. Portanto, o entendimento da água como alimento e insumo é primordial para gerar ações que garantem o correto manejo dos recursos hídricos para garantir o fornecimento de água para os animais.

Mas qual a diferença entre água como alimento e insumo? Bom, como insumo, a água é utilizada na produção de alimentos para os animais e limpeza de itens utilizados no sistema de produção, desde equipamentos, utensílios e conforto animal. No caso de alimento, ele vem da ingestão direta da água e pelo consumo de alimentos volumosos e concentrados.

Contudo, embora seja indispensável para sobrevivência e bem-estar dos animais, o seu uso deve ser feito de forma consciente, pois ao economizar o uso da água na pecuária nós atendemos dois pontos importantes: redução de custos e preservação desse recurso natural e essencial à vida.

Então, como podemos atender às demandas de consumo de água dos bovinos sem que isso cause grandes impactos na disponibilidade de água para a humanidade, permitindo uma produção de carne de forma sustentável do ponto de vista econômico e ambiental?

O caminho para encontrar esse equilíbrio é através de ações presentes no sistema de produção, com base no conhecimento científico, que permitam:

1 – conhecer o consumo de água dos animais e oferecer a eles água com qualidade;

2 – escolher e monitorar as fontes de água mais aptas ao uso pecuário;

3 – identificar e solucionar as perdas de água em um sistema de produção;

4 – considerar no custo de produção o custo da água;

5 – capacitar a mão de obra em práticas relacionadas ao manejo hídrico da atividade.

– 5 dicas para o uso consciente da água na pecuária de corte!

Para te ajudar a implantar ações que permitam o melhor uso dos recursos hídricos, nós vamos te trazer 5 dicas para o uso consciente da água na pecuária.

1ª Dica – Faça a captação da água da chuva!!

A captação das águas das chuvas é uma forma simples, econômica e sustentável de economizar água na pecuária. Como em muitas regiões do Brasil ocorrem grandes períodos de estiagem, o uso de cisternas pode ser uma ótima alternativa.

A forma de captação pode ser feita pelos telhados das construções ou por sistema tipo represa, para que a água seja captada e bombeada até as áreas onde será utilizada.

Para isso, é necessário ter um projeto para calcular o tamanho das cisternas em função do número de animais e período de estiagem. Além disso, a análise da qualidade da água do ponto de vista de salinidade e toxidez é essencial para que não haja problemas de intoxicação dos animais.

2ª Dica – Utilize a água de reuso!

Parece ser algo simples, mas poucas fazendas pensam que isso pode ser uma forma de economizar o uso da água potável. A água de reuso não é somente aquela proveniente das chuvas, mas a água industrial ou das casas. Um exemplo simples que podemos citar é a instalação de sistemas de reuso da água da pia do banheiro para a descarga das casas dos funcionários da fazenda. São pequenas economias que vão impactar grandemente no total.

3ª Dica – Evite o uso de água onde não é necessário!

A terceira dica tem relação com a dica anterior. Nem sempre precisamos utilizar água potável em todos os manejos da fazenda. Por exemplo, se você faz algum manejo de lavagem de curral, você pode criar cisternas de captação dos dejetos das lavagens e utilizar para fazer uma fertirrigação.

4ª Dica – Instale hidrômetros!

Como assim instalar hidrômetros? Parece besteira, mas você sabe o consumo mensal de água de todo seu sistema de produção? Com os hidrômetros você poderá ter informações concretas sobre a quantidade consumida em um determinado período. A partir disso, é possível fazer previsões e entender melhor a variação do consumo durante o ano. Assim, você tem facilidade para identificar as épocas do ano em que a propriedade consome mais, criar estratégias de economia de economia no uso da água e verificar vazamentos no sistema de distribuição.

5ª Dica – Calcule o consumo de água dos animais!

Você sabe determinar o consumo de água de dos diferentes lotes de sua fazenda? Como você faz o planejamento de uso da água durante o ano? Essas perguntas só serão respondidas se você souber calcular o consumo de água dos animais para as diferentes categorias. Para te ajudar a realizar esse cálculo, nós trouxemos uma tabela elaborada pela Embrapa Pecuária Sudeste, que mostra a média de consumo de água por faixa de peso dos animais (Tabela 1).

Tabela 1. Consumo de água de dessedentação para bovinos em L (Palhares, 2013).
Tabela 1. Consumo de água de dessedentação para bovinos em L (Palhares, 2013).

– Use tecnologias a seu favor!

Para os técnicos e pecuaristas deve estar claro que o manejo hídrico deve se basear em conhecimento técnico e práticas que garantam a disponibilidade de água em quantidade e qualidade aos animais, de forma que se crie uma atividade ambientalmente mais equilibrada, economicamente mais rentável e socialmente mais valorizada. Isso permitirá que a sociedade não enxergue a produção animal como uma atividade exploratória de água, mas como um setor que consegue transformar água em alimento de forma eficiente e eficaz.

Bovexo

Este é um conteúdo em parceria com a Bovexo. Acesse o site e conheça mais.


Autor:

João Costa jr | Dr. em Zootecnia - BovExo


Oportunidade

Pensando em investir em máquinas agrícolas? Clique aqui e confira as opções de tratores e implementos disponíveis no nosso marketplace.

1/91