• Agrobid

Com dólar alto e baixa demanda, importações do leite caem em 2021

Compras externas de leite em pó têm queda de quase 30% em 2021
Foto de copo de leite e vacas no pasto, via banco de imagens - iStock
Foto via banco de imagens - iStock

De acordo com os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), analisados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o volume de derivados lácteos importados pelo Brasil neste ano somou 126,4 mil toneladas, queda de 17% em relação ao mesmo período do ano passado. A menor compra do leite em pó influenciou neste resultado. As compras externas deste derivado caíram quase 30% neste ano, totalizando 70 mil toneladas. Esse valor representa 55% do total importado pelo país em 2021.


Exportações - O recuo nas importações esteve atrelado ao dólar elevado e à demanda brasileira enfraquecida. Neste caso, o poder de compra da maior parte da população esteve fragilizado praticamente ao longo do ano todo. Já as exportações nacionais cresceram 18% em relação ao mesmo período de 2020, somando 35,2 mil toneladas de janeiro a novembro de 2021. Os derivados que contribuíram para o aumento dos embarques foram o leite em pó, com volume 5 vezes superior ao de 2020, o soro de leite, com o dobro de negociações, e o leite fluido, com volume 95% maior que o do mesmo período de 2020. Juntos, estes derivados representaram 36% do total exportado pelo Brasil.


Final do ano - Em novembro, especificamente, o volume importado de lácteos caiu 7% em relação ao de outubro e 50,5% frente ao mesmo período de 2020, totalizando 11,4 mil toneladas. Já as exportações subiram 4,8% na comparação mensal, mas recuaram quase 21% na comparação anual, totalizando 2,3 mil toneladas. Agora em dezembro, os preços externos dos lácteos seguem elevados. No dia 7 de dezembro, a cotação no leilão da Global Dairy Trade (GDT) subiu 1,4% em relação ao valor de novembro. Diante disso e da fraca demanda interna, os volumes importados devem seguir limitados no mês.

1/91