• Agrobid

Exportação de suíno brasileiro para China diminui

Redução também está atrelada à falta de contêineres

Foto de suinocultura, via banco de imagens - iStock
Foto via banco de imagens - iStock

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), as exportações brasileiras de carne suína recuaram com certa força no mês passado, registrando o menor volume em 10 meses. A diminuição esteve atrelada à falta de contêineres e, sobretudo, à redução nos envios aos dois principais destinos da suinocultura nacional, China e Hong Kong.


Queda de quase 10% em um ano - Segundo dados da Secex compilados por pesquisadores do Cepea, em novembro, 78 mil toneladas de carne suína foram exportadas, volume 20,1% inferior ao de outubro, e o menor desde janeiro deste ano. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve queda de 9,8%.


Para a China, foram 21,9 mil toneladas enviadas no último mês, diminuição de 41,3% frente ao volume de outubro. Para Hong Kong, foram exportadas 9,7 mil toneladas em novembro, recuo de 26,5% frente ao mês anterior. De janeiro a novembro, China e Hong Kong, juntos, corresponderam por 59,7% das exportações totais de carne suína brasileira, sendo destino de 616,9 mil toneladas, segundo dados da Secex. Em novembro, a participação dos dois destinos caiu para 40,6%.


Mercado asiático - Os embarques brasileiros a outros destinos importantes, como Vietnã e Singapura, também caíram de outubro para novembro, 33,8% e 6%, respectivamente, somando 5,7 mil toneladas e 3,3 mil toneladas, ainda conforme dados da Secex.


Em termos financeiros, os embarques de carne suína geraram R$ 939,4 milhões em novembro, montante 21,6% abaixo do de outubro e também o menor desde janeiro deste ano. Neste caso, como os preços médios e do dólar se mantiveram estáveis, a queda foi resultado do menor volume.


Precisando de maquinário? Confira algumas das opções disponíveis no Superbid Marketplace:









1/58