• Agrobid

Já pensou em ter sua própria marca de carne premium?

Fabio Dias, da Friboi, dá dicas para quem quer entrar em mercado de alto padrão

Foto via Instagram @friboibrasil

Sair da agricultura familiar e expandir o negócio é o sonho de muitos produtores rurais. E para aqueles que estão inseridos na pecuária, agregar valor ao produto e experimentar novos (e sofisticados!) mercados pode ser uma opção viável, se houver planejamento. Fábio Dias, diretor de relacionamento com pecuarista da Friboi, participou da Confraria Agrobid: Raça Montana e pontuou alguns detalhes de manejo e produção que o pecuarista deve anotar e levar como regra. Confira:


Primeiro desafio é a regularidade - Um dos pontos principais em construir uma marca é que você tem que entregar o seu produto de forma regular, se fazer presente no mercado.”Não é tipo Panetone que você entrega no Natal e acabou. Ninguém quer fazer uma marca para ter uma vez ao ano. A gente tem essa qualidade com o bovino, que é parte do dia a dia ou do final de semana”, disse. Seguindo essa questão da regularidade, é preciso ter um produto com muita consistência. Se você vai se diferenciar, você precisa ter alguma coisa para oferecer.


Qualidade da carne - O acabamento na peça da carne tem que ser levado em conta, então a cobertura é imprescindível. “Carne de festa, carne de churrasco, tem que ter gordura”, enfatiza Dias. A carne premium é uma carne diferente do dia a dia, então para avançar nesse mercado, isso é fundamental. Fábio ressalta que, antes de qualquer coisa, o mais importante em uma carne é a maciez, e esse atributo só será adquirido se o gado for castrado.


Mercado Premium - Fábio diz que as pessoas discutem uma série de detalhes no manejo, mas ignoram a castração dos animais. “Se você não castrou, você já não quer entrar no mercado premium. Você já está querendo um mercado de produção e volume”. Se você quer fazer uma marca premium, você tem que ter gado jovem, castrado ou novilhas. No caso das fêmeas, pode ter um animal de 18 a 30 meses de idade. Outro ponto é ter uma influência menor de zebu para uma diminuição de risco. “Você tem carne macia de Nelore? Claro que tem, mas existe um risco daquilo oscilar”, alerta.


Quer saber mais sobre produção de carne de qualidade? Conheça o Montana e confira tudo o que rolou na primeira Confraria Agrobid: Raça Montana, clicando na imagem abaixo:




1/105