• Agrobid

Mercado: o que você precisa saber para iniciar bem a safra 2022/23?

Dólar, eleições e conflitos geopolíticos vão impactar o mercado brasileiro de grãos

Foto: Unsplash

Os agricultores e pecuaristas do Brasil já precisam preparar uma lista de assuntos importantes para ficarem atentos e não perderem dinheiro neste momento.

Além do clima, os custos altos de produção, a inflação e o mercado cambial, as eleições presidenciais em outubro e os conflitos geopolíticos na Europa e Ásia são alguns dos temas que estão em alta e impactam diariamente os preços nas bolsas internacionais e as dinâmicas de oferta e demanda dentro do nosso país.


Todos esses assuntos foram tema de mais um Papo de Agro, que contou com a participação de Carla Mendes, editora-chefe do portal Notícias Agrícolas, e de Matheus Pereira, diretor da consultoria Pátria Agronegócios.


O que os produtores devem esperar do mercado para o início da safra 2022/2023?

“O que o produtor mais espera agora é chuva. Ele quer ter um bom início de safra”, responde Matheus Pereira. Em muitas regiões, as precipitações já estão chegando e muitos estados já deram início ao plantio. Por isso, Matheus destaca uma preocupação maior para esse início de temporada. “Temos visto muitas oscilações no mercado, principalmente quando se fala em política as relacionadas aos conflitos geopolíticos em alguns países. O produtor precisa estar de olho na China e em Taiwan e, claro, no conflito entre Rússia e Ucrânia”.


“Todo esse cenário deixa o produtor curioso para saber o que vai fazer com os seus negócios. Começamos essa safra com um produtor aflito, com negociações um pouco lentas. A volatilidade do dólar, combinada com a volatilidade dos grãos em Chicago, mais os custos altos de produção, tudo isso deixa o produtor preocupado”, completa Carla Mendes, do Notícias Agrícolas.


Apesar de tantas preocupações, a última estimativa da Conab aponta para um aumento de 21% na área plantada de soja no Brasil em 2023. Resta agora saber se essa projeção vai se concretizar. Segundo as estimativas da Pátria Agronegócios, “o país deve sim expandir a sua área plantada de grãos, mas será um crescimento bem menor que o dos anos passados”, enfatiza Matheus.


Agricultores devem ficar atentos ao dólar

“A grande preocupação agora é a reviravolta cambial, não vemos uma perspectiva de queda nos preços da soja nos próximos meses, mas o grande problema é o dólar, que pode impactar as negociações da soja para o produtor brasileiro”, garante Matheus Pereira.


“Comprar a soja com dólar alto, mas vendê-la com dólar baixo, essa é uma conta que pode prejudicar os produtores brasileiros, por isso a atenção deve estar voltada a esse mercado. De qualquer forma, as margens do produtor serão consideravelmente menores que na safra 2021/22”, complementa Carla Mendes.


Pensando em investir em máquinas e implementos agrícolas? Confira as opções disponíveis no Agrobid Marketplace!


1/91