• Agrobid

Mulheres no agro: lideranças apontam caminho do sucesso

União e conhecimento são ferramentas para fortalecer a participação feminina no campo

Foto: Freepik

O papel das mulheres na pecuária brasileira é cada vez maior e ganha mais protagonismo. Segundo os últimos levantamentos do IBGE, em áreas da agropecuária, mulheres são responsáveis por encabeçar a produção de 30 milhões de hectares no país. O valor corresponde a apenas 8,5% de toda área ocupada por sítios e fazendas do Brasil. O total de mulheres trabalhando em empresas do agronegócio também cresceu em 13,3%. Mas, juntamente com todo esse crescimento, os desafios também continuam aumentando cada vez mais.

Os desafios e conquistas das mulheres na agropecuária foram tema de mais uma Papo de Agro, que contou com a participação da pecuarista Sônia Bonatto e da zootecnista Sharandi de Mori.


Congresso das Mulheres deu ainda mais força para a participação feminina no agro

Para Sônia Bonatto, o Congresso das Mulheres do Agronegócio, que aconteceu nos dias 26 e 27 de outubro de 2022, em São Paulo, foi mais uma ótima oportunidade de reunir produtoras rurais de todo o país. “Lá, conhecemos todas as realidades, mulheres de todo o país, seus trabalhos e suas maneiras de pensar. O congresso me trouxe muita sabedoria e amor por parte dessas mulheres”, lembrou.

Sharandi de Mori, fundadora do grupo Marias do Agro, também revelou que o Congresso foi muito importante para dar início a esse projeto. “Em 2019 tivemos a ideia de criar As Marias do Agro, depois de participarmos do Congresso daquele ano, e hoje já temos quase 100 mulheres. Pretendemos virar uma associação. A ideia principal desse grupo é a troca de conhecimento. De alguns anos pra cá, a mulher assumiu o seu papel na sociedade e está muito bem posicionada no agronegócio e queremos incentivar isso”.

Como as mulheres do agro podem lidar com os desafios no setor?

Mudanças políticas, econômicas, sociais não podem impedir o agronegócio de continuar em frente, segundo Sharandi. “O que a gente tem que fazer é trabalhar, independentemente das mudanças que acontecem no país, não temos escapatória. Não podemos ser totalmente pessimistas, precisamos pensar em soluções cada vez melhores”.


Sobre o problema do machismo no meio agro, Sônia e Sharandi concordam e destacam um ponto principal: esse obstáculo ainda existe, sim, mas é preciso encontrar um equilíbrio e pensar em trabalhar em conjunto. “Acho que a mulher vem conquistando o seu espaço e vencendo certos preconceitos ou desrespeitos nesse meio. Eu sempre digo que o que queremos não é ser mais ou menos que os homens, mas poder andar lado a lado com eles”, revela Sharandi. “Comecei em 1996 no meio agro, indo à palestras e a dias de campo com o meu marido, no meio de vários homens, sem medo. Estava lá para aprender e não dava atenção ao que pensavam de mim. O principal é ter foco. Ainda existem barreiras, mas temos que estabelecer parcerias com todos os que estão nesse setor”, completa Sônia.

O que as mulheres devem fazer para alcançar o sucesso na pecuária?

“Se aprimorar cada vez mais na sua área. O conhecimento difere as pessoas e, para as mulheres, conhecimento é poder. Você pode chegar em qualquer lugar, desde que saiba aonde você quer chegar”, responde Sharandi.


“Saber o que você quer, aonde você quer chegar e, principalmente, ser honesto sempre, as pessoas precisam confiar em você”, diz Sônia.


Pensando em investir em máquinas e implementos agrícolas? Confira as opções disponíveis no Agrobid Marketplace!


1/105