• Agrobid

Oito passos valiosos para lucrar com a raça Nelore

Raças zebuínas representam 80% do rebanho nacional e agradam o mercado do campo à mesa

Dois animais da raça nelore, bezerro e animal adulto
Raça se tornou patrimônio nacional e oferece lucratividade à produtores | Foto: Pixabay

De acordo com os últimos dados divulgados pela Associação Brasileira de Frigoríficos, a Abrafrigo, as exportações totais de carne bovina do Brasil, considerando o produto in natura e processado, alcançaram 203.742 toneladas em julho de 2022. O resultado foi uma alta de mais de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Na esteira da alta de preços das commodities no exterior, nosso país obteve US$ 1,23 bilhão (R$ 6,44 bilhões) de lucro com os embarques de julho.


As raças zebuínas, em especial o Nelore, comandam essa geração de valor cada vez maior e tornam-se a cada ano um verdadeiro patrimônio nacional reconhecido por todo o mundo. Todo esse reconhecimento, porém, exige dos pecuaristas cada vez mais eficiência na gestão do negócio, racionalização de custos e aumento de produtividade. Como produzir mais, obter lucro e ainda saber apreciar a carne do Nelore? Esses foram os temas de mais um Papo de Agro, que contou com a participação de Lauro Fraga, gerente de melhoramento genético da Associação Brasileiro dos Criadores de Zebu, a ABCZ, Clarice Chwartzmann, chef de cozinha e churrasqueira profissional e Frederico Bessa, gerente de pecuária do Rancho da Matinha.


Oito pontos para avaliar e lucrar mais com a raça Nelore

Fred Bessa tem experiência para dar e vender quando o assunto é Nelore. Afinal, o Rancho da Matinha, localizado em Uberaba-MG, é um dos mais tradicionais e importantes do Brasil - e do mundo - quando se fala em seleção animal, criação e venda de touros e produção industrial. Fred lista alguns pontos para ajudar o pecuarista a avaliar a capacidade dos animais pensando em aumentar a lucratividade.


1.Reprodução

“Ter uma vaca que pode parir todo ano é essencial para um criador. É de suma importância para ele ter bezerros todo ano e renovar o seu rebanho”, complementa Fred.

2. Precocidade

“Saber avaliar se os animais chegam com vitalidade e rapidez à fase reprodutiva também é um fator importante”.


3. Desempenho pré desmama

4. Desempenho pós-desmama “Como será a adaptação do bezerro nessas etapas? É bom sempre avaliar e auxiliar os animais a saírem da desmama da forma correta.”


5. Habilidade materna

“Esse é um dos pontos mais importantes que nós avaliamos e selecionamos nos animais da Matinha. É a vaca ter a capacidade de desmamar um bom bezerro todos os anos e isso não é uma tarefa tão fácil.”


6. Rendimento

De forma técnica, o rendimento animal significa a relação entre o peso da carcaça e o peso vivo do bovino abatido. Quanto mais esse rendimento aumenta, mais os pecuaristas faturam com a venda.


7. Acabamento de carcaça

“Avaliar o grau de gordura e de músculo das carcaças é muito importante”.

8. Eficiência alimentar

“Esse talvez seja o principal ponto da lista, já que o ganho de peso e desenvolvimento vai influenciar todas as características anteriores”.


Trabalho da ABCZ no melhoramento do gado Nelore

A ABCZ trabalha com toda a cadeia produtiva do gado zebuíno, desde a pecuária seletiva até a comercial, e desenvolve, junto aos produtores rurais, um trabalho de registro e orientação sobre pastagens, crédito financeiro, fomento, extensão rural e mercado consumidor. “Nossa meta é multiplicar essa genética pensando no gado comercial, a cadeia final do negócio da pecuária, multiplicando esses animais e oferecendo mais lucro ao produtor”, afirma Lauro Fraga.


“Hoje, a China importa 50% da carne brasileira e isso é muita coisa, mas também temos um mercado interno muito grande e que precisamos conhecer e melhorar ainda mais a oferta dos produtos”, complementa.


Carne de Nelore pode ser carne premium?

Para Clarice Chwartzmann, é impossível falar em churrasco brasileiro ou qualquer outro prato sem falar em carne Nelore. “Nosso churrasco está muito ligado a essa raça. E o que vemos é uma pecuária brasileira que cresce e se desenvolve cada vez mais, trazendo mais qualidade do campo à mesa”, ressalta.


“Há muitos grupos de criadores que têm trabalhado com a carne Nelore de qualidade, de olho nesse mercado consumidor cada vez mais exigente. Nosso foco é estimular criadores, frigoríficos e restaurantes a propagarem e valorizarem mais a carne de Zebu, que é a carne brasileira. Nossa carne é saudável e possível de comer todos os dias, variando os preparos, como um kibe, uma carne de panela, que são acessíveis e estão diariamente no prato do consumidor”, afirma Lauro Fraga.


“Além disso, é uma carne com custo-benefício muito bom para os consumidores. É uma carne que se pode consumir todos os dias com muito mais rendimento, mas também é uma carne marcante para o churrasco brasileiro como um todo”, completa Clarice.


Expogenética

Maior mostra de animais de raças zebuínas do país, a 15ª Expogenética volta ao formato presencial após dois anos de pandemia. As expectativas para o evento este ano são altas e o Parque Fernando Costa reúne grandes produtores e principais programas de melhoramento genético do Brasil. Entre eles, estará o Rancho da Matinha.“Estamos animados para a Expogenética. O Rancho da Matinha estará por lá e vamos ofertar 200 touros da melhor qualidade. Acho que esse evento promove um bate-papo entre criadores e isso é muito bom”, lembra Frederico Bessa.


Quando acontece?

Expogenética

De 20 a 28 de agosto

Parque de Exposições Fernando Costa

Uberaba-MG


Pensando em investir em máquinas agrícolas? Confira as opções disponíveis no Agrobid Marketplace!


1/91