• Agrobid

Pecuarista: dicas valiosas para não perder dinheiro!

Oscilações de preço e sobreoferta têm levado preocupação aos pecuaristas brasileiros

Rebanho de bovinos pastando em campo verde
Pecuaristas precisam proteger seus preços para não perder dinheiro neste ano | Foto: Unsplash

O mercado da pecuária anda movimentado e bastante volátil nos últimos meses. Com escalas de abate mais longas dos últimos quatro anos, desvalorização de preços no mercado interno, oferta excessiva de carne bovina no varejo, entre outras questões, o pecuarista fica, muitas vezes, de mãos atadas e tem dificuldade na hora de fazer compras ou negociar seus produtos.


Um panorama geral do mercado agropecuário, além de dicas valiosas para o pecuarista que quer proteger e lucrar com o seu rebanho nesse momento foram destaques de mais um Papo de Agro, que contou com o head de pecuária da consultoria Agrifatto, Yago Travagini.


Panorama: como fica o mercado da pecuária a curto e médio prazo?

Para Yago, os resultados de um mercado de preços extremamente inconstante como estamos vendo agora são consequências de decisões antigas, tomadas pelos pecuaristas há pelo menos dois anos. “Desde maio e junho estamos vendo o crescimento da oferta do boi gordo no mercado, essa queda nos preços é, na verdade, resultado de uma sobreoferta. Agora, o mercado enfrenta grandes dificuldades para alocar a carne a preços competitivos, mas isso vem de decisões tomadas já há alguns anos.”, explica.


Já para as próximas semanas, a perspectiva é de aquecimento da demanda no mercado interno e externo, comportamento já comum e esperado também para os últimos meses do ano. “No médio prazo, existe uma perspectiva de recuperação dos preços. Vemos que mercado está tentando formar um fundo de preços nesse momento”, pontua Yago.


No cenário externo, o mercado pecuário brasileiro está muito bom e com boas perspectivas de exportação. “Apesar de o mercado interno estar em dificuldade, com sobreoferta, teremos uma excelente exportação e poderemos bater recorde esse ano”, destaca.


Desafios para a exportação de carne brasileira

Segundo a Agrifatto, o Brasil já possui frigoríficos de excelente qualidade e prontos para exportar mais carne para países com alta demanda, como a China, mas que ainda há impasses quanto à habilitação de novas plantas e negociação de preços mais competitivos.


No contexto interno, não existe uma previsão tão positiva quanto a valorização dos preços do boi gordo. “Não devemos ver uma recuperação do boi gordo como vimos nos anos passados. A compra é o que vai favorecer esse mercado nos próximos dois anos, então muita atenção à compra nesses próximos meses”, alerta Yago.


Dicas importantes para enfrentar o momento de instabilidades na pecuária

Yago vai direto ao ponto quando o assunto é dicas para que o pecuarista se proteja neste momento: faça hedge. Nada mais do que uma proteção de um ativo contra as oscilações dos preços no mercado, o hedge tem sido um tema de cada vez mais relevância para a agropecuária. “Faça Hedge na hora de comercializar, assim você tem mais controle dessa movimentação de preços do mercado. Temos a B3 ou o mercado a termo que ajudam nessa comercialização antecipada”, sugere Yago.


E acrescenta: “comece a se tornar protagonista na hora de vender seus animais. Pense na gestão de risco como o item mais básico e essencial na sua continuidade na pecuária de corte. Uma venda ou compra errada pode ser recuperada, mas vendas e compras erradas consecutivamente podem levar à sua falência nesse setor".


Pecuarista! Está pensando em investir em máquinas e implementos agrícolas? Confira as opções disponíveis aqui no Agrobid Marketplace!



1/91